Primeiro – e inevitável – embate

Ágatha Bednarczuk e Bárbara Seixas entram em quadra na tarde desta quinta-feira (17), às 17h40, horário de Brasília, pela etapa de Curitiba do Open de Vôlei de Praia. E, pela primeira vez após a medalha de prata na Olimpíada do Rio, as duas atletas estarão em lados opostos.

Continuar lendo

Vôlei do Brasil chega a 23ª medalha olímpica na Rio 2016

volei-praia-da-ouro

A Olimpíada do Rio de Janeiro terminou ontem com o Brasil batendo dois recordes: o do número geral de medalhas – 19, ultrapassando as 17 de Londres – e o do número de medalhas de ouro – 7, batendo as 5 conquistadas em Atenas, em 2004. Mas outro dado merece atenção: com a conquista do tricampeonato olímpico pela seleção masculina, o vôlei do Brasil atingiu a marca de 23 medalhas em Olimpíadas. Se fosse um país, o vôlei estaria à frente do Brasil da própria Olimpíada do Rio.

Continuar lendo

É ouro! Doze anos depois, seleção masculina conquista tri olímpico

premiacao_2108_07_m

“Joguem por mim”, pediu Serginho, à equipe. Após ouro, aposentadoria / Foto: CBV

Não deu pras meninas na quadra. Nem pra três das quatro duplas na praia. Os melhores aproveitamentos do vôlei na Olimpíada do Rio foram ficando para trás após tropeços nos piores momentos. E quem levou o ouro nos jogos do Rio foram os meninos da seleção masculina de vôlei do Brasil. A equipe comandada por Bernardinho bateu os italianos por 3 sets a 0 e, num jogo emocionante, conquistou o lugar mais alto do pódio na tarde deste domingo, 21, último dia dos jogos.

Continuar lendo

Ouro! Alisson e Bruno liquidam italianos e vencem final olímpica na praia

voleiouro3_m

Foto: Divulgação CBV

Foi debaixo de chuva que a dupla Alisson Cerutti e Bruno Schmidt, do vôlei de praia, conquistou o ouro olímpico na noite desta quinta-feira (18), em Copacabana. O ouro é a segunda medalha olímpica conquistada por Alisson: em Londres (2012), ele havia ficado com a prata ao lado do já campeão olímpico  Emanuel.

Continuar lendo

Inacreditável Vôlei Clube

brasilxchina_m

Foto: Divulgação CBV

Que me desculpem os marmanjos, mas as mulheres sempre nos encheram mais de orgulho. Se não pelo resultado, pelo menos pela raça, emoção, tudo isso misturado a muito disciplina. Não é à toa que, já na metade da Olimpíada, parte da torcida ande meio desacreditada com o vôlei – e o futebol também, oras – masculino, enquanto as equipes femininas dão aquele show de aproveitamento e resultado. Mas o dia 16 de agosto de 2016 ainda nem tinha começado e olha, parece que era um dia marcado no calendário pra dar TUDO errado.

Continuar lendo

Vale ouro! Ágatha e Bárbara atropelam Walsh e Ross e vão à final

braxusa_1608_12

Foto: Divulgação CBV

O dia 17 de agosto, tão esperado por torcedores que assistiram à sucessão de derrotas brasileiras no dia anterior, finalmente chegou. E elas entraram para a história: a dupla brasileira de praia Ágatha e Bárbara Seixas bateu as americanas Walsh e Ross por 2 sets a 0 e está na final olímpica do Rio. Mas não é só por chegarem à final na primeira Olimpíada disputada que elas fizeram história.

Continuar lendo

Larissa e Talita esbarram nas alemãs e vão disputar bronze

_wil4916_m

Foto: Divulgação CBV

Atual medalhista olímpica de bronze no vôlei de praia, Larissa formou dupla com Talita e, juntas, acabaram se tornando as favoritas para a medalha de ouro da Olimpíada do Rio. Mas o sonho foi interrompido na tarde desta sexta-feira (16), nas areias de Copacabana. Larissa e Talita pararam na dupla formada pelas alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst, que venceram a semifinal por 2 sets a 0.

Se o primeiro set foi mais equilibrado, com parcial de 21×18 – três pontos de diferença – o segundo e decisivo set não pareceu disputado por duas duplas. Larissa e Talita sentiram a derrota no primeiro set e só conseguiram marcar 12 pontos no segundo. Com tranquilidade, as alemãs avançaram para a final, onde vão enfrentar a dupla vencedora da partida entre as brasileiras Ágatha e Bárbara e as americanas Walsh e Ross.

Foi-se a chance de dobradinha brasileira no pódio. Caso Larissa e Talita passassem à semifinal – e caso Ágatha e Bárbara se classifiquem logo mais – o Brasil teria asseguradas as medalhas de ouro e de prata, faltando definir somente quem ficava com qual. Com a derrota, Larissa e Talita ainda disputarão a medalha de bronze.

“Méritos para o time da Alemanha. A Olimpíada continua. Se elas foram melhores, temos que levantar a cabeça porque amanhã tem mais”, disse Talita, em entrevista ao SporTv.

Em cinco partidas disputadas – três pela fase de grupos e duas eliminatórias – Larissa e Talita tinham vencido todas, quatro pelas por 2 sets a 0. O único set perdido pelas brasileiras foi nas quartas de final, para a dupla Heidrich e Zumkher. O jogo aconteceu no último domingo (14), uma classificação eletrizante, em que as brasileiras bateram as suíças de virada.

 

Bruninho diz, finalmente, que se orgulha pela medalha de prata

Sim, eu também acho Ricardinho melhor levantador que Bruno. Mas, com isso, não quero dizer que o Bruno Rezende seja ruim: só acho ele um tanto quanto inconstante. Para quem não sabe, o dono da camisa 5 da seleção brasileira de vôlei anunciou aposentadoria após as olimpíadas de Londres. Ou seja, temos Bruninho na seleção, precisando ser bem trabalhado, sem pressão.

Continuar lendo